Primeira live do mês vocacional 2021: “Vocação ao ministério ordenado”

Por Priscila dos Santos/Pascom Brumado


Postado em 06/08/2021


Primeira live do mês vocacional 2021: “Vocação ao ministério ordenado”

No mês de agosto é celebrado no Brasil o mês vocacional. Neste tempo, em especial, há um olhar ainda mais reflexivo sobre a vocação primeira, pelo Batismo, ao recebermos a missão de cristãos, filhos de Deus, e a partir disso, somos convidados aos diversos serviços na comunidade.

Visto isso, na noite do dia 4 de agosto, às 19h30, pelo canal do Youtube da Diocese de Caetité-BA, houve a primeira live para dialogar acerca das vocações. O tema foi “Vocação ao ministério ordenado”. O momento foi mediado pelo padre Sandro Alves Teixeira Lima, atual pároco da Paróquia Nossa Senhora da Conceição Aparecida e São Cristóvão de Brumado-BA e coordenador diocesano da pastoral vocacional e contou com a participação do Monsenhor Alex Adriano Rocha Barbosa, pároco da Paróquia Catedral de Senhora Sant’Ana de Caetité-BA e também coordenador diocesano da pastoral dos presbíteros.

De início, o padre Sandro fez memória litúrgica de São João Maria Vianney, patrono dos sacerdotes, pediu oração por todos os padres e depois saudou ao Monsenhor Alex Adriano. O Monsenhor agradeceu as boas-vindas, o convite feito para reflexão sobre o ministério ordenado e logo após, mencionou que a igreja no Brasil nos propõe meses temáticos e em agosto é o vocacional com o objetivo de conscientizar os cristãos e despertá-los para a cultura vocacional. 

“Todos somos animadores vocacionais”, destacou o Monsenhor Alex Adriano e enfatizou a preocupação com as vocações.

Na sequência, recordou personagens bíblicas que nos ajudam a perceber o chamado de Deus e a resposta do ser humano, enquanto interlocutor à luz da fé, tais como: Abraão, Moisés, Samuel, Isaías, Jeremias, Amós, Ezequiel, Maria, Mateus, os apóstolos, a passagem bíblica do jovem rico e Paulo apóstolo.

Ao observarmos essas figuras, entende-se nosso chamado, enquanto seres humanos, começando no Batismo, fonte das vocações, como destaca o Monsenhor. No caso dos ministros ordenados, citou: “ninguém é ordenado para si mesmo” e sim para ser servidor do povo de Deus. Falou ainda das etapas para quem deseja percorrer o ministério ordenado e rendeu graças a Deus por todas as missões da Igreja.   

Mencionou também a necessidade de estarmos atentos aos sinais dos tempos, pois Deus nos fala por meio de mediações concretas, humanas, de homens e mulheres que disseram sim ao pai celeste. É necessário, portanto, escutar com sabedoria. E, ao dizer isso, lembrou do testemunho dos padres com mais tempo de ordenação e aqueles com menos, recordou a responsabilidade de cada um e desejou perseverança no caminho.

Ao finalizar, o Monsenhor lembrou: “sem uma paixão autêntica, verdadeira por Jesus nós não vamos ao longe”, também disse da alegria sentida ao servir e pediu oração para sua caminhada sacerdotal. Ele ainda respondeu a alguns comentários feitos pelos internautas e juntamente com o padre Sandro encerrou o presente momento com a oração vocacional, Pai nosso, Ave-Maria e bênção final.