Comunidade Nossa Senhora Aparecida, da Vila Presidente Vargas em Brumado-BA, celebra festa de sua Padroeira

Por Maria Gracilane / Comunidade Nossa Senhora Aparecida


Postado em 13/10/2021


Comunidade Nossa Senhora Aparecida, da Vila Presidente Vargas em Brumado-BA, celebra festa de sua Padroeira

Foto: Zilmar Santana/Pascom Brumado

Entre os dias 09 a 12 de outubro de 2021, com o tema central: “Com a Mãe Aparecida fortalecendo as Comunidades Eclesiais Missionárias”, a Comunidade Nossa Senhora Aparecida da Vila Presidente Vargas, em Brumado-BA, festejou o Tríduo em honra e louvor a sua Padroeira Nossa Senhora Aparecida, com a seguinte programação: de 09 a 11 de outubro, às 19h, Tríduo preparatório para a grande festa, que iniciou com a Celebração Eucarística no dia 09 com o celebrante Padre Sandro Alves Teixeira Lima. 

A equipe litúrgica da comunidade ficou responsável pelas celebrações e os convidados Eclesiais durante o Tríduo foram: Terço dos homens, Renovação Carismática Católica (RCC), Pastoral do Dízimo, Pastoral da Catequese, Pastoral da Criança, Legião de Maria e Vicentinos. No dia 12 de outubro, a grande festa, houve a seguinte programação: às 5h da manhã, a alvorada festiva com a queima de fogos e carreata pelas ruas da comunidade; às 6h, a oração do Santo terço; às 12h, oração do Ângelus em família e às 19h procissão com a imagem pelas ruas da Vila Presidente Vargas, com a celebração da Santa Missa, presidida pelo Padre Cleonidio Alves da Silva. Neste ano, devido às restrições relacionadas a pandemia da COVID -19, o Tríduo e Solenidade foram realizados com celebrações campais seguindo as recomendações dos órgãos sanitários. 

A devoção à Nossa Senhora da Conceição Aparecida perpassa os tempos. De acordo com a historiografia cristã, seu início foi em meados de 1717. Convocados pela Câmara de Guaratinguetá, os pescadores Domingos Garcia, Filipe Pedroso e João Alves saíram à procura de peixes no Rio Paraíba. Desceram o rio e nada conseguiram e depois de muitas tentativas sem sucesso, chegaram ao Porto Itaguaçu, onde lançaram as redes e apanharam uma imagem sem a cabeça. Logo após, lançaram as redes outra vez e apanharam a cabeça, em seguida lançaram novamente as redes e, dessa vez, abundantes peixes encheram a rede. 

O Papa Pio X, em 1904, deu ordem para coroar a imagem de modo solene. No dia 29 de abril de 1908, a igreja recebeu o título de Basílica Menor. Grande acontecimento, e até central para a nossa devoção à Virgem, foi quando, em 1929, o Papa Pio XI declarou Nossa Senhora Aparecida Padroeira do Brasil, com estes objetivos: o bem espiritual do povo e o aumento cada vez maior de devotos à Imaculada Mãe de Deus, no ano de 2017, a Igreja comemorou os 300 anos em que a imagem de Nossa Senhora Aparecida foi encontrada.

A expressão de fé do povo brasileiro é presente até hoje. A mãe Aparecida é invocada em todo o território nacional em 12 de outubro para que os cristãos católicos recordam do episódio do encontro da imagem e do milagre surgido, que foram peixes em abundância, para nos mostrar o quão valiosa é a intercessão de Maria por seus filhos e filhas.